Paulo Coutinho: Grandes vinhos a caminho

A experimentar

Ainda mais reconhecido como o enólogo da Quinta do Portal, o “vigneron” do Douro mostra que os vinhos a “solo” são muito especiais e vieram para ficar entre os grandes pequenos projetos biológicos da região.

Visitar as vinhas e falar do Douro com Paulo Coutinho revela que este talentoso profissional domina e venera a região onde nasceu, cresceu e venceu como enólogo da Quinta do Portal. Desde 1994 está ao leme desta clássica marca duriense, onde desenvolveu uma série de produtos e ganhou imensa experiência na elaboração de vinhos de mesa, mas também de Porto e Moscatel, estes últimos, diga-se de passagem, diferenciados e excelentes. No seio da Quinta do Portal, alimentou o seu plano de um projeto pessoal. Uma proposta trazia muitas benesses à outra, com o seu campo de ensaios nas parcelas próprias a trazer novas ideias e energia ao Portal, e a pesquisa, técnicas e tecnologias empregadas numa marca de respeito, com 700 mil garrafas de produção anual, a aportar maturidade e sabedoria para a sua assinatura pessoal.

Concluiu a Licenciatura em Enologia na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro em 1993, mas no ano anterior já havia começado a reestruturar uma parcela com o pai, a Vinha da Fonte, na aldeia de Celeirós, adquirida por Paulo em 2006. Esse anfiteatro xistoso, entre os 400 e 500 metros de altitude, com exposição sul-sudeste, foi o palco de muitas das experimentações de Paulo Coutinho no caminho para a excelência. Reconversão de castas, criação de taludes, troca de sistemas de poda e condução, conversão orgânica a partir de 2012 e, agora, alguns preceitos de biodinâmica, trouxeram conhecimento e qualidade aos vinhos assinados pelo enólogo, em todos os projetos.

Continue a ler o artigo em Revista de Vinhos.

Últimas