Restaurantes a não perder em Portugal. 6 foodies elegem os seus favoritos

A experimentar

A partir de 3 de maio, os restaurantes deixam de ter restrições de horários. Para celebrar, fomos perguntar a quem mais sabe quais aqueles que não podemos deixar de experimentar. De Pombares a Leila Gato, conheça as sugestões dos foodies.

Primeiro foram as esplanadas, depois as salas interiores, com limitações de lugares e de horários. Agora, com o final do estado de emergência e a entrada de Portugal numa nova fase de desconfinamento na segunda-feira, 3 de maio, os restaurantes voltam em força, sem restrições de horários, e aptos para receber jantaradas pela noite fora e longos almoços ao fim de semana.

E num altura que estamos todos cheios de vontade de comer os nossos pratos favoritos, porque não perguntar a quem mais percebe do tema o que é que não podemos mesmo deixar de provar? A MAGG lançou o desafio, os foodies responderam.

Entre produtores de conteúdos digitais especializados em gastronomia, consultores de comunicação e gastronómicos e, acima de tudo, bons garfos, seis foodies falaram com a MAGG, deram dicas de restaurantes preferidos e até de alguns inéditos, que também estão na lista destes especialistas em comida.

Pérolas escondidas no Algarve e em Jerusalém de Romeu, restaurantes populares da capital que tem mesmo de conhecer, dos pratos asiáticos à comida de conforto: saiba tudo o que Leila Gato, André Cabrita, Guilherme Filipe, a página Onde Vamos Jantar, Inês Matos de Andrade e Frederico Pombares recomendam. Já tem os talheres prontos?

Leila Gato

A foodie e criadora de conteúdos digitais Leila Gato elegeu três restaurantes, todos bastante diferentes entre si, desde comida israelita a sabores bem portugueses.

De Levant 

“Quero regressar ao De Levant, um espaço israelita da mesma família do restaurante Tantura no Bairro Alto. Sempre que lá vou sinto-me em casa. Por lá, o ambiente é sempre de festa e a comida mediterrânea é perfeita para partilhar com família e amigos”, conta Leila à MAGG, acrescentando que é difícil escolher um prato preferido. Mesmo assim, deixa a recomendação: “Provem os pães israelitas, os kebabs e a baba ganoush”.

Informações: Travessa Fiéis de Deus 28, Bairro Alto, Lisboa; 912843360

https://www.instagram.com/p/CEOfSU0HkbU/?utm_source=ig_embed

Taberna do Mar

De Israel para o mar, outro dos restaurantes eleitos por Leila Gato é a Taberna do Mar. “O chef Filipe Rodrigues e o seu menu de degustação fazem deste restaurante um dos meus sítios preferidos para comer peixe em Lisboa. Matéria prima de excelência e uma combinação perfeita entre as tradições gastronómicas algarvias e a inspiração nos sabores e técnicas asiáticas, levam-me lá de olhos fechados”, relata a produtora de conteúdos digitais, que avisa que é aqui que se comem os melhores niguiris de sardinha braseada da capital.

Informações: Calçada da Graça 20B, Graça, Lisboa; 210 939 360

Faz Frio

Por último, a foodie elege o Faz Frio, especializado em comida tradicional. “Na carta deste restaurante reinam pratos portugueses, mas com uma identidade muito própria e atualizada – sem altivez modernista. Liderado por Jorge Marques e a sua inesgotável boa disposição, é daqueles lugares onde dá vontade de ir e… ficar”, diz Leila. E pratos preferidos, há? “Feijoada de lebre e a mousse de chocolate.”

Informações: Rua Dom Pedro V 96, Príncipe Real, Lisboa; 215 814 296

André Cabrita

Cozinheiro e produtor de conteúdos digitais focados na gastronomia, e com fotografias deliciosas que nos fazem salivar para a sua página de Instagram, André Cabrita não consegue escolher menos do que cinco restaurantes onde quer voltar agora que o desconfinamento está em marcha.

Almeja

O primeiro eleito por André é o Almeja, no Porto, que tem tudo o que o foodie precisa: sensação de casa e comida fabulosa. “Ir ao Almeja começa no gosto em receber que é evidente em cada membro da família que serve às mesas, passando pelo espaço acolhedor — agora com uma esplanada recatada no jardim das traseiras — e, claro, pela comida maravilhosa que o João e a equipa preparam. O menu de degustação, seja ele qual for esta estação, vai ser a minha escolha. Mas a cabeça de xara, assinatura do restaurante é, sem dúvida, algo que vou sempre repetir.”

Informações: Rua de Fernandes Tomás 819, Porto; 222 038 120

Prado

Do Porto para Lisboa, chegamos ao Prado. “É  o restaurante por que me apaixonei ainda quando vivia fora, e que é de visita obrigatória sempre que passo por Lisboa. A consistência na qualidade do serviço e da comida é exemplar e infalível”, destaca André Cabrita, que não tem dúvidas em escolher a couve grelhada com soro de leite como prato preferido. “Nunca vai deixar de me surpreender.”

Informações: Travessa das Pedras Negras 2, Lisboa; 210 534 649

Isco

Também na capital, André não deixa de fora as mesas azuis mais simpáticas de Lisboa, no Isco. “A estrutura de padaria aberta deixa ver a honestidade e a simplicidade naquilo que por lá se faz. Essas mesas convencem-me a ficar por lá horas a fio, a ler, ou a trabalhar no computador, na companhia de bom café de filtro, do cheiro a pão e pastelaria folhada acabada de sair do forno”, diz o produtor de conteúdos, que está desejoso de voltar a comer a trança sueca de cardamomo.

Informações: Rua José D’Esaguy 10D, Alvalade, Lisboa; 211 345 751

Continue a ler o artigo em MAGG.

Últimas