Metade das empresas de Restauração e Alojamento com quebras de 90% na faturação em março

A experimentar

É o que diz um inquérito realizado pela AHRESP que indicam ainda uma forte quebra nas receitas e um sufoco na tesouraria das empresas. A Associação da hotelaria, restauração e similares de Portugal alerta para a necessidade do reforço das medidas de apoio financeiro.

No mês em que se assinalou um ano de pandemia COVID-19 em Portugal, as empresas da restauração e similares e do alojamento turístico atravessam o período mais difícil de sempre. O inquérito mensal, realizado pela AHRESP – Associação da hotelaria, restauração e similares de Portugal, relativo a março, revela que 49% das empresas de Restauração e 49% das empresas de Alojamento registaram quebras de faturação acima de 90%.

Também a PRO.VAR – Promover e Inovar a Restauração Nacional dá conta de resultados preocupantes, num inquérito a empresas do sector realizado entre os dias 2 e 9 de abril, com respostas válidas de 549 estabelecimentos de restauração. A associação liderada por Daniel Serra diz estar uma “catástrofe em curso“, com “dois em cada três estabelecimentos de restauração não conseguiram pagar metade das despesas“. E deixa um alerta especial para “uma situação de extrema gravidade” identificada nos centros comerciais onde, dois em cada três (66,4%), dos estabelecimentos ponderam apresentar pedidos de insolvência.

Continue a ler o artigo em Boa Cama Boa Mesa.

Últimas