Esplanadas que reabriram de norte e sul

A experimentar

A abertura das esplanadas, ainda que com algumas limitações, é um passo em frente no desconfinamento que vale a pena saborear, com a devida cautela. Junto ao mar, ao rio ou nos centros das cidades, vários são os bares e restaurantes que vão reabrir as suas esplanadas.

LISBOA

À Margem
Cadeiras vintage na zona ribeirinha

Este quiosque na zona monumental de Belém é um convite a descansar as pernas entre caminhadas.

Sumos de receitas melhoradas, sopas novas e tostas com pão da Gleba são as principais novidades da carta do À Margem, um dos simpáticos restaurantes/cafés instalados na frente ribeirinha de Belém. Com tudo pronto para a reabertura na segunda-feira, quem ali for terá de circular sempre de máscara e sentar-se, unicamente, na esplanada exterior, cujas mesas manterão o distanciamento necessário e serão alvo de desinfeção a cada uso, conta Pedro Vaz, um dos sócios do projeto. A par da vista desafogada para o Tejo, o espaço destaca-se pela arquitetura inspirada no cavername de um barco e pela esplanada toda branca, mobilada com as emblemáticas cadeiras São Gonçalo, dos anos 1950.

(Fotografia de Orlando Almeida/GI)

A não perder
As sanduíches são agora feitas com pão artesanal da Gleba e acompanham bem com limonada.
Horário durante o Estado de Emergência: das 10h às 21h. Até às 13h ao fim de semana.


TOPO Chiado
Petiscos com vista para o Elevador de Santa Justa

A vista para as fachadas coloridas e recuperadas da Baixa é um dos trunfos deste restaurante/bar, inteiramente a céu aberto.

Já lá vão quase cinco anos desde que o Topo Chiado abriu nos Terraços do Carmo recuperados pelo arquiteto Siza Vieira, em pleno Chiado. Dono de uma das mais bonitas vistas sobre a Baixa, o Elevador de Santa Justa e o casario, este espaço ocupa uns amplos 1500 metros quadrados ao ar livre, divididos por três patamares – dois deles agora dedicados a 40 lugares sentados de esplanada. Nesta reabertura, conta o responsável Fábio Baptista, a carta vai manter a aposta nos hambúrgueres, pizas e saladas e em petiscos como tábuas de queijos e enchidos. Já do bar de cocktails continuarão a sair propostas originais, cervejas bem tiradas e vinho a copo, para beber a qualquer hora.

(Fotografia de Gonçalo Villaverde/GI)

A não perder
O brunch manteve-se praticamente inalterado (entrou uma nova calzone). Serve-se ao fim de semana, das 11h às 13h, com bebidas incluídas e custa 16 euros por pessoa.
Horário durante o Estado de Emergência: das 11h às 21h (durante a semana); até às 13h (fim de semana).


SUD Lisboa Terrazza
Ao estilo do sul

Prevista para dia 5, a abertura foi adiada para dia 8 de abril e com mais espaços no exterior.

O Sud Lisboa Terrazza, implantado na zona ribeirinha de Belém, está preparado para reabrir as suas esplanadas no piso inferior e a do Pool Lounge, no piso 1, e com muitas novidades na carta assinada pelo chef executivo Patrick Lefeuvre. Nas entradas há um novo cremato de foie gras e um carpaccio de carabineiro com salada do mar; nos principais, ravioli de ragu de pato assado e lombo de robalo corado; e por fim as sobremesas de mil folhas de pistachio e framboesa e dome cake de amêndoa. Para acompanhar, sugerem-se cocktails de assinatura. Uma vez que o espaço é muito procurado e tem a lotação limitada ao exterior, recomenda-se fazer reserva de mesa com antecedência (a última disponível é às 19h/19h30 durante a semana).

(Fotografia: DR)

A não perder
Enquanto a lei obrigar os restaurantes a encerrar às 13h ao fim de semana, a alternativa passa pelo Sud Home Experience, cujo menu é entregue em casa, todos os dias, entre as 12h e as 22h.
Horário durante o Estado de Emergência: durante a semana, das 12h às 21h. Esplanada do Pool Lounge, das 12h às 18h. Ao fim de semana, funciona apenas em takeaway e entrega ao domicílio.

ALMADA

Ponto Final
Um poiso com o Tejo aos pés

No rio, a Ponte 25 de Abril e os barcos; em terra, a nova vida de uma antiga casa de pasto de trabalhadores fabris.Se há vistas que justificam a fama dos lugares, a que se tem da esplanada do Ponto Final, no Cais do Ginjal, é uma delas. Encaixado no final de um pontão na margem de Almada, permite admirar toda a frente ribeirinha lisboeta e o curso dos cacilheiros e dos barcos no Tejo. Dulcínea Coelho e António Saraiva abriram este restaurante há 20 anos, naquela que era uma antiga casa de pasto frequentada pelos trabalhadores do cais do século XIX, e têm assistido a muitas modificações. Mas o que é bom é para manter, por isso não introduziram alterações na carta de sabores portugueses. Na esplanada amarela quase em cima da água, as mesas vão manter-se distanciadas e com QR codes para ler a ementa no telemóvel, e dará para assistir ao pôr do sol atrás da ponte – mas só durante a semana.

(Fotografia de Gerardo Santos/GI)

 

A não perder
A carta vai dos petiscos leves aos pratos de conforto. Destacam-se as pataniscas de bacalhau com arroz de feijão e os jaquinzinhos, muito pedidos pelos clientes.
Horário durante o Estado de Emergência: encerra ao fim de semana enquanto vigorar o fecho às 13h (encerramento normal à terça-feira).


SETÚBAL

Rockalot
Ambiente descontraído junto ao Sado

Música ambiente a inspirar boa disposição e vista para Troia: eis o cenário deste bar setubalense.
Neste snack-bar de arquitetura sóbria e contrastante com as cores do Sado e da Arrábida, está praticamente tudo a postos para a reabertura ao público, até porque haver espaço ao ar livre para estender a esplanada nunca foi um problema. “Vamos ter 50 mesas distribuídas pelos dois decks em madeira e a zona junto à areia” da praia da Saúde, conta o dono, Mateus Nabais. A carta do chef Luca Bordino chama já as cores e os sabores da primavera-verão, ao apostar em pequenos-almoços (das 9h às 12h) com vários tipos de ovos, taças de açaí e sumos de fruta da época; e em hambúrgueres, saladas e bowls, numa linha mais saudável. Para beber, há todos os dias um novo sumo natural, cocktails de autor e cervejas artesanais da região.

(Fotografia de Matheus Carvalho da Rocha)

 

A não perder
Do variado menu destacam-se opções como salada de quinoa e ovo escalfado, bolo do caco torrado com manteiga de alho e ervas e, para partilhar, batatas fritas com diferentes molhos.
Horário durante o Estado de Emergência: das 08h às 21h. Até às 13h ao fim de semana.

 

PORTO e GAIA

Terraplana
Cocktails e pizas no miolo da cidade

O bar Terraplana reabre a sua esplanada no quarteirão portuense das Belas-Artes com novidades na carta.
Quatro cocktails originais e também duas novas pizas são as novidades que o Terraplana apresenta agora que vai reabrir a sua esplanada. Este espaço no Bonfim, com um terraço urbano tranquilo e soalheiro, é chamariz naquela zona por várias razões. O seu ambiente é cosmopolita, com uma decoração a remeter para os pubs ingleses e bares de Nova Iorque, mas com personalidade própria. Aqui se incluem vitrais do início do século XX e ilustrações nos tetos e paredes. A esplanada, no terraço, tem dois patamares e um palco, onde se realizam concertos. Na carta, sobressaem as pizas – agora com duas novas , de frango e de espinafre e ricotta – os muitos cocktails e cervejas artesanais. Ao fim de semana, há brunch.

A não perder
Os quatro novos cocktails são viagens pelo Mundo. Como o Tripitaka, que remete para o Oriente. É feito com gin Bombay Sapphire com infusão de especiarias asiáticas, puré de tamarindo, leite de coco, lima, laranja e angostura.
Horário durante o estado de emergência: das 16h às 21h; sábado e domingo das 10h às 13h.

Continue a ler o artigo em Evasões.

Últimas