Estes cabazes de comida “imperfeita” combatem o desperdício alimentar

A experimentar

Uma caixa de produtos “feios”, mas frescos e saborosos. É esta a proposta da The Equal Food Co para combater o desperdício e promover a economia circular.

Todos os anos, cerca de um terço dos alimentos produzidos no mundo vão parar ao lixo – milhares de toneladas só porque o seu formato, cor e calibre não respeitam os padrões estéticos da indústria. Juntos, Alberto Mojtar e Lukas Friedmann estão a tentar inverter as estatísticas. “É importante começarmos a tratar os produtos todos da mesma forma, porque eles não deixam de ser nutritivos nem saborosos só porque são feios”, alertam os responsáveis pela The Equal Food Co, dedicada a comercializar cabazes a partir de excedentes, que de outra forma os produtores não conseguiriam escoar. Entregues directamente à sua porta, contêm até nove quilos de fruta, verduras, legumes e superalimentos, como cogumelos, ovos e abacates.

Focada na economia circular e na sustentabilidade do planeta, a startup arrancou ainda antes do primeiro confinamento, com venda directa ao sector da restauração. Alberto e Lukas acabaram por ser forçados a reformular o negócio, mas o objectivo manteve-se o mesmo: identificar áreas com excedente em Portugal e Espanha e comercializar esses produtos, que por terem manchas, formas estranhas ou tamanhos “fora do padrão” acabam, frequentemente, em aterros sanitários. “As razões para um produto não ser vendido através dos canais de distribuição tradicionais variam. Por exemplo, com os morangos e as framboesas é o estado de maturação”, conta-nos Alberto. “Como é um produto perene, ou é congelado ou tem de chegar ao consumidor mesmo, mesmo rápido. E aí coloca-se outro problema: o nível de optimização da própria cadeia agroalimentar.”

Continue a ler o artigo em Time Out Lisboa.

Últimas