Monky, o asiático digital que conquistou Faro, ganha vida como restaurante físico

A experimentar

Nasceu em fevereiro como “um rasgo de criatividade e resiliência no meio do caos”, dos proprietários do restaurante Alameda, em Faro, encerrado devido ao Estado de Emergência. O sucesso inesperado do Monky, um “asiático digital”, vai levar à abertura de um restaurante físico ainda este verão.

No dia 21 de fevereiro, o chef Rui Sequeira anunciava o nascimento do Monky, um asiático digital que tinha como objetivo atenuar as dificuldades reais, consequência do encerramento forçado dos restaurantes no âmbito do Estado de Emergência. Proprietário, com a mulher, Neide Monteiro, do já reconhecido Alameda, em Faro, o jovem cozinheiro arregaçou as mangas e tirou da gaveta “um sonho antigo”, com apelativo nome de Monky, um restaurante virtual de cozinha asiática dedicado a, sete dias por semana, preparar refeições em take-away e delivery. “A necessidade aguça o engenho. Nunca um provérbio fez tanto sentido e é assim que surge o nosso Monky… De um rasgo de criatividade e resiliência no meio do caos”, explicava Rui Sequeira, ainda sem imaginar que o sucesso deste projeto de sobrevivência o levaria a ter de abrir, fisicamente, este restaurante nascido apenas para ser virtual.

Para já, o objetivo é reabrir, já no dia 5 de abril, o Alameda, aproveitando a esplanada, e depois, ainda antes do verão, dar casa ao Monky. “Se prevíamos que tivéssemos que concretizar isto tão cedo? Claro que não. Se estávamos preparados para o número de pedidos que iríamos receber desde a primeira manhã no Monky? Não, nem nos nossos melhores sonhos”, escrevem Rui Sequeira e Neide Monteiro na página de Facebook do restaurante para anunciar que “o nosso segundo restaurante físico está a chegar, dois anos e meio depois de tudo ter começado na nossa casa, no Oitavofrente Supperclub”.

Continue a ler o artigo em Boa Cama Boa Mesa.

Últimas