Gratinado de peixe e couve-flor

A experimentar

Não é novidade que nem sempre é fácil as crianças gostarem de peixe.
Os meus rapazes comem, e até gostam, mas sempre que digo que o jantar é peixe, a primeira expressão é de desconsolo. Faz parte do seu charme.

UMA RECEITA DE PEIXE ESCONDIDO PARA AGRADAR AOS MAIS NOVOS

Com os legumes, de uma maneira geral, as caretas são parecidas.

Noutro dia, quando tinha muita couve-flor a precisar de ser gasta, fiz um acompanhamento em que a cozi a vapor, cobri-a com molho de tomate, polvilhei com queijo ralado que tinha sobrado de uma noite de pizzas e levei a gratinar.

Ficou tão bom, que resolvi fazer um upgrade à receita: transformá-la em prato principal, a pensar nos mais pequenos: a ideia é que a couve-flor se confunda com o peixe e que o molho de tomate com o bónus do queijo os entusiasme.

Cá em casa resultou, espero que em vossa casa também faça sucesso!

GRATINADO DE PESCADA E COUVE-FLOR

INGREDIENTES

Para 4 pessoas

3 ou 4 lombos de pescada ou outro peixe branco
1 couve-flor grande ou 2 mais pequenas
2 chávenas almoçadeiras de molho de tomate
Queijo ralado qb
1 dente de alho
1 folha de louro
Sal qb
Folhas de manjericão para servir

INGREDIENTES PARA O MOLHO DE TOMATE

1 cebola grande
2 dentes de alho
100 g de cenoura
100 g de abóbora menina
1 pimento vermelho fresco ou de conserva
4 a 5 tomates maduros ou 1 lata de tomate pelado
Sal qb
Azeite qb
Manjericão ou salsa picados (opcional)

Começa por fazer o molho de tomate.
Leva ao lume um tacho com um fundo de azeite.

Deixa aquecer e junta as cebolas cortadas em meias-luas e os alhos laminados.

Junta a folha de louro e deixe cozinhar bem, até a cebola ficar bem translúcida e começar a querer dourar.
Junta os tomates partidos em pedaços ou o tomate pelado (se usares um robot de cozinha não precisas de retirar a pele dos tomates frescos, pois vai ficar bem triturado), o pimento, a cenoura e a abóbora descascadas e em pedaços.

Envolve tudo muito bem, tempera com sal e deixa cozinhar até estar tudo bem desfeito.

Retira a folha de louro e junta as ervas aromáticas, se fores usar.

Deixa ferver novamente e tritura com a varinha mágica ou no robot.

Prova e retifica os temperos, se necessário.

Se achares que está muito espesso, junta um pouco de água e deixa ferver novamente.
Reserva a quantidade de molho para a receita e guarda o restante num frasco esterilizado, que depois de arrefecido podes guardar no frigorífico ou congelar.

Entretanto, leva a cozer a pescada num tacho com água, um dente de alho esmagado e uma folha de louro.

Coze também a couve-flor, idealmente a vapor.

Escorre a pescada e lasca-a.
Liga o forno nos 180º C.
Num prato de forno, faz uma camada de couve-flor e rega com um fio de azeite.

Faz uma camada de pescada e cobre com o molho de tomate.

Polvilha com o queijo ralado e leva ao forno a gratinar no nível superior do forno durante cerca de 10-15 minutos (vai vigiando para não queimar).
Serve com uma salada de rúcula e alface ou brócolos cozidos ao vapor e acompanha com pão para molhar.

NOTA:

– Às vezes o molho de tomate exige uma pitada de açúcar para cortar a acidez, mas neste caso, a cenoura e a abóbora cumprem a função de adocicar o molho e este, para além de mais rico em nutrientes, fica delicioso! Curiosidade: os talheres, numa das fotos, eram os meus talheres quando era pequena.

O artigo foi publicado originalmente em Lume Brando.

Últimas