Para manter os 80 funcionários, chef Vitor Sobral estima um prejuízo entre 600 a 700 mil euros

A experimentar

O setor da restauração é um dos mais afetados pela pandemia de covid-19 e o depoimento de Vítor Sobral ilustra bem a dificuldade sentida nesta área. Com quatro restaurantes, o chef tem feito de tudo para os manter as empresas a funcionarem.

Com quatro restaurantes e padarias, o chef Vítor Sobral tem feito de tudo para manter as empresas a funcionar, mesmo que a pandemia o obrigue a ter as portas fechadas, na sequência do confinamento em vigor. “A restauração passa por um momento difícil”, refere um dos rostos da restauração em Portugal, setor de atividade que está entre os mais afetados pela crise sanitária.

“É verdade que foram anunciados apoios, mas se não há urgência na atribuição dos apoios a restauração vai ter muitas dificuldades. Estamos descapitalizados”, afirmou Vítor Sobral em declarações à TVI 24. Dá ênfase ao facto de que não basta anunciar medidas de apoio. É preciso que cheguem ao terreno “em tempo útil”, caso contrário “vai ser extremamente difícil”.

Vítor Sobral lembra que quando foram anunciados os apoios anunciados em dezembro, os estabelecimentos ainda estavam abertos. “Neste momento, estamos numa situação completamente diferente daquela que estávamos quando os apoios foram anunciados”. O país está de novo em confinamento e os restaurantes estão fechados.

Continue a ler o artigo em Diário de Notícias.

Últimas