Qual o verdadeiro impacto da suinicultura no ambiente?

A experimentar

De acordo com os dados do Inventário Nacional de Emissões, publicado no dia 15 de março de 2020, a Agricultura é responsável por 10,1% do total de emissões gasosas do país. Destas, a pecuária contribui com cerca de 13,5% resultantes dos processos de gestão de efluentes e 51,4% do processo de fermentação entérica dos animais.

Relativamente à suinicultura, a atividade é responsável por apenas 0,34% do total das emissões de gases com efeito de estufa em Portugal, sendo o setor da pecuária responsável por cerca de 5,25%.

Os suinicultores aplicam várias técnicas para reduzir as emissões de gases com efeito de estufa, através do armazenamento e tratamento do estrume e do aproveitamento de energia, bem como do ajustamento das dietas de forma a diminuir o teor proteico, reduzindo assim o volume de amoníaco excretado. Fazem também investimentos regulares em sistemas de otimização da utilização de água, como lavagens de pavilhões com máquina de pressão e, ainda, a valorização agrícola dos efluentes produzidos.

As inovações tecnológicas aplicadas nas explorações de suínos em Portugal permitiram melhorar significativamente o desempenho ambiental nos últimos 20 anos:

  • Redução de 23,2% das emissões de amoníaco por quilo de carne produzida entre 1990 e 2018, de acordo com o Inventário Nacional de Emissões publicado pela Agência Portuguesa do Ambiente;

Continue a ler o artigo em AGROTEC.

Últimas