O vinho de cada dia: É tão fácil escolher

A experimentar

Que venha o vinho adequado para alegrar as nossas refeições quotidianas. O crítico gastronómico da VISÃO Se7e, Manuel Gonçalves da Silva, sugere três vinhos acessíveis e bons

É tempo, agora, de voltar aos vinhos para acompanhar as refeições do dia a dia: simples, acessíveis e bons, necessariamente. Há tantos e tão diversificados vinhos portugueses com estes requisitos que a probabilidade de errar na escolha é diminuta. Quase todos são bem-feitos, hoje em dia.

Sirva de exemplo o Herdade Grande Clássico Colheita Selecionada Tinto 2017, produzido em terras da Vidigueira, Baixo Alentejo, onde a família Lança se instalou em 1920 (encerrou a comemoração do centenário, no final do ano passado, com uma edição especial do Génese de Baco Grande Reserva 2014). O Clássico da colheita de 2017 tem frescura e sabor que o recomendam para a mesa na companhia de queijos, de enchidos e de pratos suculentos.

Outro bom exemplo é o Carvalhais Mélange à 3, que traz a chancela do Dão e tem a irreverência sugerida pelo seu nome, apresentando-se leve, elegante, jovem, moderno e atraente. É certamente um vinho para beber novo, mas reúne condições para evoluir em garrafa durante alguns anos. Bebe-se muito bem à conversa ou numa pausa para descompressão e vai igualmente bem com petiscos, grelhados e outros pratos com peso equivalente.

Continue a ler o artigo em Visão.

Últimas