Associação de restaurantes critica proibição: “vender bebidas não tem risco”

A experimentar

AHRESP lamenta mais uma medida restritiva que prejudica atividade dos restaurantes e cafés e que levanta muitas dúvidas.

É o consumo de bebidas – e os consequentes ajuntamentos à porta de estabelecimentos – que se quer impedir, e não a venda que traz risco. E por isso a nova medida do governo, que proíbe a venda de todas as bebidas em regime de takeaway é apenas lesiva da atividade de um setor já tão afetado pela crise da covid e respetivas medidas de contenção da doença.

Quem o diz é a Associação de Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal, (AHRESP), que pede a governo que volte atrás numa regra que é ineficaz e traz apenas grande confusão aos estabelecimentos, que estão vedados a qualquer atividade exceto o takeaway.

“As últimas medidas restritivas impostas ao funcionamento da Restauração e Similares vieram determinar a proibição, no takeaway, da venda de qualquer tipo de bebidas. Ora, a venda de bebidas propriamente dita não representa qualquer risco acrescido”, sublinha a AHRESP que defende a revogação imediata desta medida, uma vez que “o que se quer prevenir é o consumo de produtos à porta do estabelecimento ou nas suas imediações, e não a venda, que apenas vai prejudicar a já difícil situação dos estabelecimentos”.

Continue a ler o artigo em Dinheiro Vivo.

Últimas