10 combinações entre vinho e queijo para experimentar

A experimentar

Ou alimentar o vinho a queijo, que é, como se sabe, alimento completo e de forte mantença. Os estilos são diversos, principalmente pelo leite de base e pela forma como são produzidos e curados. É fundamental provar pontes vínicas até chegar ao nirvana, quando tudo começa e acaba em beleza.

Se virmos bem, o queijo marca presença na mesa portuguesa em todas as etapas da refeição, mesmo quando não reparamos. O cenário de um couvert que inclui pão, tostas, manteiga, paté e um queijo de Azeitão ou um queijinho curado não é estranho para quem frequenta restaurantes. O queijo fresco também pontifica no capítulo entradeiro, secundado ou não por bolachas e tostas e a um requeijão ninguém diz que não. Nos pratos gratinados, nas empadas, tartes e folhados fechados há queijos à nossa espera, calor e sal inconfundíveis.

E no final, antes dos doces vem a proverbial oferta sortida de queijos, dando a hipótese de terminar a refeição de forma salgada e não doce. Mesmo optando pela doce terminação, aí estão queijos creme e pastas de queijo na composição, e ninguém se faz rogado.

Todos os momentos merecem o vinho certo, a o vinho merece que nos debrucemos sobre as possibilidades de harmonização com cada tipo de queijo. E para os que já têm as suas pontes bem sólidas e defendidas, o momento pode ser de experimentar novos caminhos, as possibilidades são inúmeras, quer olhemos para as ligações tradicionais quer ousemos enveredar por pontes apenas imaginadas. Os vinhos que alinhámos têm as suas predileções especiais, e são pontos de partida para a redescoberta do queijo. Boas provas!

 

  • 1

Com vaca curado: Quinta dos Carvalhais Único Dão Tinto 2015 (14%) Sogrape | Classificação Evasões: 18,5

Um grande vinho escolhido a pensar no grande queijo que é um DOP São Jorge com 9 meses ou mais de cura. A boa acidez fixa do vinho faz um corte eficaz do núcleo gordo do queijo e as notas salinas que tem interagem com o queijo, criando complexidade no conjunto.

 

  • 2Com ovelha velho: Nova Missão Braga Bairrada Tinto 2015 (12,5%) F. Pato | Classificação Evasões: 18,5

O queijo Serra da Estrela velho, com 9 meses ou mais de cura, tem muita da água evaporada, pelo que concentra o sal e a textura, exigindo delicadeza e acidez do vinho para a harmonia perfeita. Os taninos muito finos deste belo vinho, juntamente com a contenção na extração, garantem bons resultados.

 

  • 3

Com vaca meia cura: Vinha da Peijona Douro Tinto 2016 (14%) Manuel Dias Lopes | Classificação Evasões

Vinha em Covas do Douro a 470 metros, castas tradicionais numa vinha velha de 80 anos. Pisa em lagar, estágio 18 meses em barricas de carvalho francês de 500 litros. Maravilhoso com o novíssimo queijo do Pico DOP, harmonização perfeita.

Continue a ler o artigo em Evasões.

Últimas