Portugal tenta travar redução da quota de pesca de bacalhau

A experimentar

Portugal vai tentar travar uma redução da quota de pesca de bacalhau no mar de Svalbard, entre a Noruega e o Pólo Norte.

“As negociações entre a União Europeia e a Noruega iniciaram-se hoje [dia 12 de janeiro], e vão prolongar-se por uma série de sessões”, revelou o ministro do Mar, Ricardo Serrão Santos, numa audição parlamentar perante a Comissão de Agricultura e Mar, que ainda está a decorrer.

Segundo o governante, que está a participar na comissão parlamentar via videoconferência, estas negociações irão definir as quotas provisórias de captura de bacalhau do Ártico, uma das espécies consumidas em Portugal, para depois se chegar às quotas definitivas para 2021.

Até ao momento, as frotas pesqueiras da União Europeia podiam pescar um total de 28 mil toneladas de bacalhau. Deste montante, cabiam 9% a Portugal.

De acordo com as últimas versões, a intenção da Noruega é baixar para um total de capturas de bacalhau na ordem das 17 mil toneladas anuais, continuando a calhar ao nosso país 9% desse total.

Se se confirmassem estas intenções, a quota permitida a Portugal de pesca de bacalhau no mar de Svalbard baixaria das atuais cerca de 2.500 toneladas anuais para cerca de 1.500 toneladas por ano, uma quebra de cerca de mil toneladas por ano.

Além disso, existem diversas versões colocadas a circular indicam que o Reino Unido passará de uma quota de 12% para 25% na pesca de bacalhau no mar de Svalbard, o que pressupõe que a quota de pesca para os países da União Europeia venha a ser reduzida por este efeito.

Continue a ler o artigo em O Jornal Económico.

Últimas