Pão de Mistura

A experimentar

Volta e meia decido que tenho de começar a fazer pão com regularidade.

Não há nada como pão caseiro a sair do forno, mas não vale a pena romantizar em demasia: dá algum trabalho e, mais do que trabalho, exige tempo. É um facto.

Mas somos animais de hábitos, por isso, sei que se conseguir tornar o ‘fazer pão’ um hábito, tudo se tornará mais fácil. Para isso, conto com a ajuda do “Vamos fazer Pão”, o mais recente livro da Isabel Zibaia Rafael, do blog Cinco Quartos de Laranja.

PÃO DE MISTURA: RECEITA APROVADA DO LIVRO ‘VAMOS FAZER PÃO’

Neste livro, a Isabel guia-nos por esse mundo incrível do pão caseiro, com receitas muito variadas, incluindo um capítulo dedicado aos segredos da massa-mãe e receitas para usarmos este fermento natural.

Vamos ao índice?

• Introdução

• Alguns conselhos

• Pão para o dia a dia

• Pão para o lanche

• Pão para dias de festa

• Pão com fermento natural

• Pão doce

Quero muito criar o meu próprio isco ou massa-mãe, mas se for tão boa a cuidar dele como sou a cuidar de plantas, as perspetivas de sucesso não são lá muito boas 😆

Decidi, por isso, começar com uma receita mais simples de Pão de Mistura. Segui a receita do livro de forma escrupulosa e o pão ficou espetacular!

A única dificuldade que senti foi ao passar o pão, após a segunda fermentação, para a panela onde ia ser cozido. Estava muito fofo e moldava-se demasiado às minhas mãos, julgo que foi por isso que não ficou muito bonito em termos de forma. Mas de sabor, ficou delicioso.

ESTE PÃO DE MISTURA É APENAS UMA DAS MUITAS RECEITAS DELICIOSAS DO LIVRO

No livro encontramos 136 páginas de receitas e informações sobre a confeção de pão, escritas de forma cuidada e bastante completa. Há fotografias para todas as receitas, da autoria de Ricardo Rafael, marido da autora, que nos mostram exatamente qual o resultado final pretendido.

Tenho vários livros sobre pão e com receitas de pão, mas este, pela seu caráter prático e pelas receitas apetitosas, é já um dos meus favoritos. Para perceberem melhor porquê, deixo algumas das páginas onde já coloquei um post-it:

• Pão de abóbora assada

• Pão de alfarroba com quinoa

• Cacetes de tomilho e limão

• Pão do caco com batata-doce roxa

• Pão com queijo camembert no forno

• Pão de vinho tinto com nozes

• Pão de açafrão com pimenta-preta e sementes de papoila

• Pão de chocolate com ameixas secas e vinho do Porto

Só de escrever, já fiquei com água na boca! Se por aí também, podem saber mais sobre o livro aqui, no site da Livraria Bertrand*.

“VAMOS FAZER PÃO” – ISABEL ZIBAIA RAFAEL – MARCADOR EDITORA, 2020

*Link afiliado.

PÃO DE MISTURA

Receita do livro “Vamos fazer pão” de Isabel Zibaia Rafael

INGREDIENTES

400 g de farinha de trigo T65

75 g de farinha de espelta (usei farinha de espelta biológica à venda na Granélia)

35 g de farinha de centeio (usei farinha de centeio biológica à venda na Granélia)

360 g de água

1/2 colher de chá de fermento de padeiro seco

10 g de sal fino (a receita pede 9 g mas a minha balança não é assim tão precisa!)

Azeite para untar

Farinha para polvilhar qb

Farinha de arroz qb para polvilhar o cesto de fermentação

MÉTODO

De véspera (ou de manhã, para cozer à noite), colocar as farinhas, o sal e a levedura de padeiro seca numa taça e misturar.

Adicionar a água e mexer muito bem com uma colher.

Transferir esta massa (um pouco pegajosa) para outra taça untada com azeite.

Tapar com um pano e deixar levedar entre 8 a 12 horas (agora no inverno é provável que sejam necessárias as 12 horas).

Após este tempo, passar a massa para uma superfície de trabalho polvilhada com farinha e dar o formato desejado ao pão.

Passar o pão para um cesto de fermentação (este cesto é chamado de banneton), polvilhado com farinha de arroz, ou para outro cesto ou recipiente improvisado – eu usei um cesto tradicional, tipo este, que forrei com um pano de cozinha e polvilhei com farinha de arroz. Importante: o pão deve ser colocado no cesto com a emenda virada para cima.

Tapar e deixar levedar cerca de uma hora – nestes dias mais frios vai ser preciso mais tempo. Eu embrulhei o cesto numa manta polar e deixei-o relativamente perto de um radiador.

Entretanto, ligar o forno nos 230ºC e colocar lá dentro a aquecer a panela de ferro fundido, com a respetiva tampa, onde vamos cozer o pão (usei uma da Le Creuset oval, de 29 cm, muito parecia com esta).

Quando o pão tiver crescido e a panela estiver bem quente, retirar esta do forno e, com cuidado para evitar queimaduras, passar o pão para a panela, desta vez com a emenda para baixo.

Tapar e levar a cozer cerca de 30 minutos. Ao fim deste tempo, retirar a tampa da panela e continuar a cozer mais 15 ou 20 minutos até o pão ficar bem dourado e bonito. O pão estará cozido quando, ao batermos na sua parte de baixo, ouvirmos um som oco.

Retirar do forno e deixar arrefecer sobre uma grade de pastelaria.

Se não resistirem a provar o pão ainda quente, fixem esta dica que também aprendi com a Isabel: pão quente não se parte com a faca, mas sim com as mãos!

NOTA:

– Na conta de Instagram do Cinco Quartos de Laranja, nomeadamente nos destaques, encontram muitos vídeos e passo a passos sobre pão!

O artigo foi publicado originalmente em Lume Brando.

Últimas