Aveleda lança vinho de homenagem ao seu fundador

A experimentar

Em 1870, Manoel Pedro Guedes fundou a Aveleda e acreditou no sucesso que os seus vinhos iriam ter. 150 anos depois, a Aveleda confirma esse facto e apresenta um vinho de homenagem ao seu fundador – Manoel Pedro Guedes – que, segundo os seus descendentes, foi um homem «corajoso, arrojado e inovador». «Quisemos homenagear o nosso fundador com um vinho extraordinário. Há muitos anos que sonhávamos criar este vinho, de forma a perpetuarmos a memória de Manoel Pedro Guedes e a sua personalidade arrojada e inovadora, que fizeram dele um homem à frente do seu tempo», referem António e Martim Guedes, CO-CEOs da Aveleda.

Produzido com as melhores uvas das castas Alvarinho e Loureiro, provenientes das melhores parcelas da Quinta da Aveleda, Manoel Pedro Guedes é inspirado no primeiro blend que a empresa produziu.

A vindima foi realizada manualmente e as uvas transportadas em pequenas caixas de 15kg e arrefecidas durante o transporte até à adega. Nesta fase, há uma seleção bago-a-bago das uvas, que são depois prensadas de forma suave. A fermentação decorre parte em barricas de carvalho francês (50%) e outra parte em inox (50%). O vinho estagia durante 8 meses: 50% em inox e 50% em barricas de carvalho francês, sendo que metade é de madeira nova (50%) e a outra metade de madeira usada. Apenas uma pequena parte do vinho é selecionada, sendo escolhidas apenas as melhores barricas e cubas para composição do lote final. Este lote é depois engarrafado e repousa durante 1 ano em garrafa.

Disponível no formato de 750 ml e 1,5l, este vinho revela uma cor amarela de média intensidade e apresenta um aroma harmonioso: notas florais e citrinas, complementado por ligeiro tropical. No paladar, revela uma mineralidade ímpar, assim como uma excelente acidez suportada por uma untuosidade marcante e madeira muito bem integrada. Um vinho que se vai desvendando com tempo no copo. O seu PVP é de 60€, sendo que o vinho estará à venda em garrafeiras e restaurantes de referência, e também na loja de enoturismo da Aveleda.

O artigo foi publicado originalmente em Enoturismo de Portugal.

Últimas