Os pratos que a Evasões mais gostou de provar em 2020

A experimentar

Estas páginas são a nossa mesa posta do que melhor provámos de janeiro a dezembro. Escolhemos os pratos que nos arrebataram, que nos deixaram a sonhar com o sabor e nos fizeram desejar voltar a eles muitas vezes. É sempre uma seleção difícil porque, na verdade, temos a sorte de viver num país de comida divina.

# Açorda de bacalhau | PORTO
Nos dez anos do DOP, o chef Rui Paula, com duas estrelas Michelin no currículo, atribuídas à Casa de Chá da Boa Nova, falou deste restaurante de base tradicional como um guardião dos “sabores que toda a gente tem na cabeça”. E foi o que senti ao provar a sua açorda de bacalhau. Na ocasião, anotei que era tão deliciosa que só me faltava lamber a taça. Não é uma imagem bonita, mas é honesta. E se há algo que associo à cozinha de memórias é essa vontade de sorver tudo até à última gota, sem cerimónias. CF

(Fotografia: Leonel de Castro/I)

DOP
Palácio das Artes, Largo de São Domingos, 18, Porto (Baixa)
Tel.: 222014313
Preço médio: 50 euros; menus de degustação, 90 euros (sem vinhos).

 

# Cenoura | VISEU
Uma das características da cozinha do chef Diogo Rocha, do Estrela Michelin Mesa de Lemos, em Passos de Silgueiros, é o cuidado com que trabalha os produtos vindos da terra e da região. Mesmo os mais banais ganham nas suas mãos destaque de iguaria. Como é o caso deste prato que tem como ingrediente principal a cenoura. Esta é aqui envolvida em massa folhada e bem aromatizada com laranja, cardamomo e anis. É acompanhada com ovas de truta da serra da Estrela. LM

(Fotografia: DR)

Mesa de Lemos
Quinta de Lemos, Passos de Silgueiros, Viseu
Tel.: 961158503
Preço Menus: 80 e 105 euros

 

# Arroz de robalo com açafrão e limão | PORTO
A comida dos chefs Miguel Castro e Silva e José Miguel Guedes é muito boa – haveria formas mais elaboradas de o dizer, mas prefiro a mais direta. É saborosa, bem feita com bons ingredientes, bem apresentada, revelando ser maior a consideração por quem a come do que pelo ego que a faz. É de rapar o prato (e o tacho…) este arroz de robalo com açafrão e limão, um favorito que se manteve na carta quando o Casario se renovou do fine dining para um espaço de petiscos de autor – que tão bem casa com o seu posto de varanda sobre o rio Douro. DM

(Fotografia: DR)

Casario
Rua de Cimo do Muro, 61 (Ribeira), Porto.
Tel: 227662270
Preço médio: 40 euros

# Essência | PORTO
Desde há muito adepto dos produtos do mar, pela sua delicadeza, o chef Vítor Matos, à frente do restaurante com uma estrela Michelin Antiquum, criou este prato no verão passado, para a carta de reentrada pós-confinamento. É um tártaro de sarrajão, apresentado numa base de tomate coração de boi. A frescura do peixe liga-se com equilíbrio e elegância à emulsão de coentros, lima e cebolinho e aos morangos e flores que os acompanham o elemento principal. O sabor do mar é realçado pela presença de caviar baeri. JM

Continue a ler o artigo em Evasões.

Últimas